Membros do Conselho de Administração
da Imprensa Nacional de Cabo Verde, SA
 

A Imprensa Nacional de Cabo Verde SA, completa este ano, mais precisamente, no dia 24 de agosto, o 180.º aniversário, uma longevidade que remonta ao ano de 1842, aquando da publicação do primeiro Boletim Oficial do Governo Geral de Cabo Verde, na ilha da Boa Vista, onde foi instalada a Typographia Nacional e, funcionava, ao mesmo tempo, a sede do Governo. 

A comemoração desta efeméride acontece num período especial por várias razões, entre as quais, existência de um contexto imprevisível e adverso provocado pelos  efeitos transdisciplinares e prolongados da atual pandemia da COVID-19, agravados, ainda, pela crise do conflito, resultante da invasão da Rússia à Ucrânia, criando dificuldades logísticas e escalada de preços de certas “commodities”, com um reflexo negativo nas cadeias de produção de vários outros produtos.

Outra razão advém do facto, de se tratar de um ano de viragem na vida da INCV, devido à  construção e implementação da gráfica de segurança, projeto que se aproxima  dos padrões internacionais e que permitirá ao país, numa primeira fase, a personalização dos documentos de segurança  e,  a médio prazo, com autonomia total, produzir os documentos oficiais de segurança.

Neste contexto, e, assente nos pilares que sustentam a INCV, convém destacar que o segmento da gráfica oficial, de segurança e editorial deve ser enquadrado como um setor chave onde a soberania nacional prevalece, devendo passar a assegurar, além da publicação do BO, a produção interna dos documentos de segurança (passaporte, cartão Nacional de Identificação,  etc.), assim como, a publicação de obras nacionais de interesse cultural. Nesse quadro, torna-se um imperativo repensar estratégias e instrumentos de política e de planeamento, no sentido de assegurar e reforçar a sustentabilidade e competitividade do setor e da INCV, como instituição. 

Para o efeito, no que concerne ao período 2022-2024, o Conselho de Administração almeja que a INCV seja percebida como uma empresa moderna e eficiente, económica e financeiramente estável, com uma orientação estratégica que assenta na:

  • Recentragem do modelo de negócio;
  • Adaptação da estrutura interna;
  • Garantia da sustentabilidade económica e financeira. 

Os desafios para o triénio são consideráveis e, provavelmente, a conjuntura continuará imprevisível. Contudo, a ambição da instituição, traduzida na visão e objetivos do Plano Estratégico e Operacional traçado para o período, é uma prova do compromisso da instituição e do Conselho de Administração, relativamente aos obstáculos ao processo de desenvolvimento setorial. Assim sendo, estamos firmes em continuar a seguir o caminho, desafiador e promissor da boa governança desta que é uma empresa com valor e história, merecedora da confiança  todos.